Regime comunista impede que cubanos frequentem praia de Cuba junto com turistas (Vídeo)

Embora a praia de Varadero não seja privada, ela não está disponível para os cubanos
Por ANASTASIA GUBIN
24 de Septiembre de 2019
Actualizado: 24 de Septiembre de 2019

Um cubano foi tomar um banho na popular praia de Varadero, em Cuba, mas encontrou vários policiais que proibiram sua passagem, então ele decidiu filmar o ocorrido enquanto pedia explicações. O fato foi divulgado pelo Observatório Cubano de Direitos Humanos.

“Você não pode entrar na praia nesta área”, disse o policial enquanto pedia seus documentos. O cidadão então pergunta se é uma “nova medida”.

“A última vez que estive aqui, era livre. Foi em 2014”, explicou ele.

“Mudou muito”, responde o primeiro policial de plantão.

“Mudou demais”, reconhece uma segunda voz.

Em resposta, o cidadão reclama que deve ser “um erro” e argumenta que “nós, como cidadãos cubanos, temos o direito de estar aqui, esta não é uma praia particular, entende?”

“A Constituição cubana concede esse direito ao cidadão cubano”, acrescenta, observando que não concorda com a medida. “Eu costumava vir aqui normalmente. Não entendo”.

Um dos policiais tentou esclarecer que “por lei, sim” pode entrar, mas o bloqueio foi por ordem do chefe.

“Se o nosso chefe vier e te ver aqui … ele irá perguntar:‘ O que esse homem está fazendo aqui? ”

O outro policial confessa que “conforme a orientação do ministro não se pode caminhar em algumas praias”, provavelmente citando o ministro do Turismo de Cuba, Manuel Marrero Cruz.

No meio da conversa, um policial pergunta ao cidadão se ele “possui antecedentes criminais” e ele responde negando. “Eu nunca fui prisioneiro”.

Varadero, Cuba em 14 de agosto de 2010. Imagem de arquivo (ADALBERTO ROQUE / AFP / Getty Images)
Varadero, Cuba em 14 de agosto de 2010. Imagem de arquivo (ADALBERTO ROQUE / AFP / Getty Images)

Depois de ouvir os oficiais, o cubano insistiu em se lembrar dos slogans proclamados diariamente pela ditadura cubana. “A revolução consagra o direito conquistado de seus cidadãos de desfrutar das mesmas praias … círculos sociais, parques, centros …”

“Desde que respeite o espaço restrito dos hotéis”, concluiu a polícia fechando o caminho novamente embora a praia não fosse privada.

A praia de Varadero é uma das praias mais conhecidas e demandadas pelos turistas que visitam Cuba. Possui 20 quilômetros de areias brancas na província de Matanzas, na península de Hicacos.

Turistas descansam em um hotel em Varadero em 8 de setembro de 2008 (ADALBERTO ROQUE / AFP / Getty Images)
Turistas descansam em um hotel em Varadero em 8 de setembro de 2008 (ADALBERTO ROQUE / AFP / Getty Images)

Segundo Ciber Cuba, a pessoa que filmou a reunião com a polícia estava na praia perto do Be Live Experience Las Morlas Hotel, de forma que o Iberostar Laguna Azul Hotel também é mencionado no post.

Atualmente, o ministro Marrero esteve em Varadero, na inauguração de uma nova megaestrutura turística com 946 quartos e áreas exclusivas para adultos do grupo Meliá Hotels International.

Em seu discurso, Marrero citou os benefícios da “Revolução”. O ministro também elogiou Meliá por ter 35 hotéis na ilha em um negócio conjunto com o regime, que fornece 15.000 quartos.

O grupo Meliá, com sede na Espanha, foi processado este ano em um tribunal da cidade mediterrânea de Palma por ex-proprietários de terras desapropriadas na província de Holguin pelo comunismo em Cuba, que agora às explora com os complexos hoteleiros Paradisus Rio de Oro e Sol Rio de Luna e Mares.

Fidel Castro (Foto: ISMAEL FRANCISCO / AFP / Getty Images)
Fidel Castro (Foto: ISMAEL FRANCISCO / AFP / Getty Images)

A Revolução Cubana com Fidel Castro e Che Guevara fez da propriedade um crime para o cubano comum, enquanto legalizava e justificava o roubo de bens com violenta expropriação. O regime mantém com Meliá os benefícios que são proibidos para o resto de seus cidadãos e nem sequer lhes permite uma visita à praia.

Done a The Epoch Times

Cómo puede usted ayudarnos a seguir informando

¿Por qué necesitamos su ayuda para financiar nuestra cobertura informativa en Estados Unidos y en todo el mundo? Porque somos una organización de noticias independiente, libre de la influencia de cualquier gobierno, corporación o partido político. Desde el día que empezamos, hemos enfrentado presiones para silenciarnos, sobre todo del Partido Comunista Chino. Pero no nos doblegaremos. Dependemos de su generosa contribución para seguir ejerciendo un periodismo tradicional. Juntos, podemos seguir difundiendo la verdad.

TE RECOMENDAMOS