Surto de pneumonia por coronavírus tipo SARS na China tem primeira vítima fatal

A Comissão de Saúde da China pediu aos cidadãos neste sábado que tentem evitar lugares e áreas mal ventilados com grandes multidões e para usar máscaras a fim de evitar o contágio
Por EFE
13 de Enero de 2020
Actualizado: 13 de Enero de 2020

O surto de pneumonia por coronavírus causado por um novo coronavírus semelhante ao da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS) ocorrida na cidade de Wuhan, no centro da China, reivindicou sua primeira vítima, um homem de 61 anos que morreu na noite de quinta-feira, informaram as autoridades municipais em 11 de janeiro.

De acordo com a última declaração publicada pela Comissão Municipal de Saúde de Wuhan, o homem foi hospitalizado com pneumonia grave, enquanto sofria de um tumor abdominal e doença hepática crônica. A causa da morte foi uma falha respiratória e circulatória.

Após a conclusão dos exames laboratoriais, foram diagnosticados 41 casos desta pneumonia viral, dos quais dois tiveram alta, outros sete estão em estado grave e um deles, o referido homem de 61 anos, morreu.

Leia também:
China suspende plano de adotar combustível etanol em todo país

O restante dos pacientes encontra-se “estável” e nenhum novo caso foi detectado entre as 739 pessoas que entraram em contato com os pacientes – incluindo 419 membros das equipes médicas.

Seguranças guardam a frente do mercado de frutos do mar em Huanan, onde as autoridades de saúde dizem que um homem que morreu de doença respiratória comprou produtos, na cidade de Wuhan, província de Hubei, em 12 de janeiro de 2020 (NOEL CELIS / AFP via Getty Images)
Seguranças guardam a frente do mercado de frutos do mar em Huanan, onde as autoridades de saúde dizem que um homem que morreu de doença respiratória comprou produtos, na cidade de Wuhan, província de Hubei, em 12 de janeiro de 2020 (NOEL CELIS / AFP via Getty Images)

Segundo a Comissão, nenhum caso novo foi detectado desde o último dia 3 e não há evidências de que tenha havido contágio entre humanos, o que também descarta que o pessoal médico tenha sido afetado.

O surto gerou preocupação porque não se sabia o que estava causando e de onde veio. Ele também lembrou a situação vivida em 2003, quando a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS) se espalhou por todo o país, causando um total de 646 mortes (813 em todo o mundo), segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS).

Devido ao acobertamento da situação por parte do regime, a doença naqueles anos se espalhou pelo mundo e levou mais de 8.000 pessoas a contrair a doença.

Mulher passa perto do mercado atacadista de frutos do mar em Huanan, fechado, onde as autoridades de saúde dizem que um homem que morreu de doença respiratória comprou produtos na cidade de Wuhan, província de Hubei, em 12 de janeiro de 2020 ( NOEL CELIS / AFP via Getty Images)
Mulher passa perto do mercado atacadista de frutos do mar em Huanan, fechado, onde as autoridades de saúde dizem que um homem que morreu de doença respiratória comprou produtos na cidade de Wuhan, província de Hubei, em 12 de janeiro de 2020 ( NOEL CELIS / AFP via Getty Images)

Segundo a OMS, entre 14 e 15% dos casos de SARS terminam em morte, enquanto no caso da síndrome respiratória do Oriente Médio (MERS), outra doença também causada por um coronavírus, o número aumenta em 35%

Testes de laboratório determinaram que esse novo surto de pneumonia também se deve a um coronavírus, um tipo de agente infeccioso dos quais apenas seis tipos eram conhecidos até agora: quatro deles causam condições respiratórias leves, semelhantes a um resfriado, e os outros dois são responsáveis por SARS e MERS.

Até o momento, os sintomas descritos para a pneumonia em Wuhan são febre e fadiga, acompanhados de tosse seca e, em muitos casos, dispneia ou falta de ar.

A investigação indica que se originou em um mercado de peixes e frutos do mar na cidade – capital da província de Hubei e lar de cerca de 11 milhões de pessoas -, que foi fechado no dia 1º pelas autoridades.

A maioria das pessoas afetadas pelo surto é de vendedores ou clientes desse mercado, mas o executivo local decidiu fortalecer a segurança e o monitoramento em todos os locais públicos da cidade, especialmente nos mercados de produtos agrícolas.

A Comissão de Saúde da China pediu aos cidadãos neste sábado que tentem evitar lugares e áreas mal ventilados com grandes multidões e para usar máscaras a fim de evitar o contágio.

“Se você apresentar sintomas de infecção respiratória e febre, e principalmente se a febre persistir, vá a uma instituição médica o mais rápido possível”, afirmou o comunicado.

Done a The Epoch Times

Cómo puede usted ayudarnos a seguir informando

¿Por qué necesitamos su ayuda para financiar nuestra cobertura informativa en Estados Unidos y en todo el mundo? Porque somos una organización de noticias independiente, libre de la influencia de cualquier gobierno, corporación o partido político. Desde el día que empezamos, hemos enfrentado presiones para silenciarnos, sobre todo del Partido Comunista Chino. Pero no nos doblegaremos. Dependemos de su generosa contribución para seguir ejerciendo un periodismo tradicional. Juntos, podemos seguir difundiendo la verdad.

TE RECOMENDAMOS