Bolsonaro diz que falará com Guedes sobre taxação de bens vendidos aos EUA

Por efe
02 de Diciembre de 2019
Actualizado: 02 de Diciembre de 2019

Brasília, 2 dez – O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira que poderá entrar em contato com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, para debater o anúncio da restauração de tarifas sobre aço e alumínio comprado do Brasil e também da Argentina.

“Vou falar agora com (o ministro da Economia, Paulo) Guedes, e, se for o caso, telefono para Trump, porque tenho um canal aberto com ele”, garantiu o chefe de governo, em entrevista coletiva concedida em Brasília, pela manhã.

Mais cedo, o presidente americano usou o Twitter para anunciar que retaliará medidas de Brasil e Argentina, com a restauração de tarifas sobre aço e alumínio dos dois países.

“Brasil e Argentina aplicaram uma desvalorização maciça de suas moedas, o que não é bom para nossos agricultores”, afirmou o mandatário na postagem feita no início da manhã no microblog.

“Portanto, com efeito imediato, restaurarei as tarifas de todo o aço e o alumínio enviado para os EUA a partir desses países”, completou o presidente americano.

Perguntado sobre a possibilidade de que seja revertida a decisão do presidente americano, Bolsonaro preferiu se limitar a repetir que o assunto será abordado primeiramente com o ministro da Economia.

“Falo com Paulo Guedes e, depois, dou uma resposta, para que eu não tenha que recuar”, disse o chefe de governo.

Em março, Trump impôs tarifas de 25% nas importações de aço e 10% nas de alumínio, em meio a guerra comercial dos EUA com a China. Os americanos, no entanto, flexibilizaram a taxação, depois que o Brasil aceitou um acordo que estabelece 10% sobre o alumínio e limites nas vendas de aço.

Em setembro deste ano, o ministro das Relações Exteriores do Brasil, Ernesto Araújo, durante visita a Washington, afirmou que o governo de Jair Bolsonaro e o dos EUA anunciariam em breve um acordo de livre comércio, sem dar uma dada específica.

Recentemente, o real teve forte desvalorização diante do dólar, atingindo na última sexta-feira 9,43% desde o início do ano.

Done a The Epoch Times

Cómo puede usted ayudarnos a seguir informando

¿Por qué necesitamos su ayuda para financiar nuestra cobertura informativa en Estados Unidos y en todo el mundo? Porque somos una organización de noticias independiente, libre de la influencia de cualquier gobierno, corporación o partido político. Desde el día que empezamos, hemos enfrentado presiones para silenciarnos, sobre todo del Partido Comunista Chino. Pero no nos doblegaremos. Dependemos de su generosa contribución para seguir ejerciendo un periodismo tradicional. Juntos, podemos seguir difundiendo la verdad.

TE RECOMENDAMOS