Bolsonaro vai se licenciar por três dias do cargo para cirurgia

O presidente será submetido à quarta cirurgia no abdome
Por PEDRO RAFAEL VILELA, AGÊNCIA BRASIL
03 de Septiembre de 2019 10:13 PM Actualizado: 03 de Septiembre de 2019 10:13 PM

O presidente Jair Bolsonaro vai se licenciar do cargo por três dias para ser submetido a uma cirurgia de correção de uma hérnia incisional. O procedimento será realizado na manhã do próximo domingo (8), no Hospital Vila Nova Star, em São Paulo. A partir desse dia, o vice-presidente Hamilton Mourão assumirá o governo. A previsão, segundo o Palácio do Planalto, é que Bolsonaro retome o cargo já na quarta-feira (11). O presidente deverá despachar do hospital, enquanto se recupera.

“Há uma previsão de o presidente ficar por cerca de 10 dias na cidade de São Paulo. Não obstante, isso pode variar, para menos ou para mais, dependendo da evolução clínica do presidente”, informou hoje (3) o porta-voz do Palácio do Planalto, Otávio Rêgo Barros.

Acompanharão o presidente, durante a internação, em São Paulo, a primeira-dama Michelle e dois de seus filhos: o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) e o vereador carioca Carlos Bolsonaro.

Esta é a quarta vez que Bolsonaro se submete a uma cirurgia, desde que sofreu um atentando à faca, no dia 6 de setembro do ano passado, em Juiz de Fora (MG), durante a campanha eleitoral. Responsável pelas duas últimas cirurgias, o médico Antônio Luiz Macedo constatou a necessidade de correção de uma hérnia incisional no presidente, na mesma região do abdome onde foram realizadas as intervenções para o tratamento das ferimentos causados pela facada.

Done a The Epoch Times

Cómo puede usted ayudarnos a seguir informando

¿Por qué necesitamos su ayuda para financiar nuestra cobertura informativa en Estados Unidos y en todo el mundo? Porque somos una organización de noticias independiente, libre de la influencia de cualquier gobierno, corporación o partido político. Desde el día que empezamos, hemos enfrentado presiones para silenciarnos, sobre todo del Partido Comunista Chino. Pero no nos doblegaremos. Dependemos de su generosa contribución para seguir ejerciendo un periodismo tradicional. Juntos, podemos seguir difundiendo la verdad.