Erdogan cobra apoio da UE ao projeto de reassentamento de refugiados sírios

Por EFE
24 de Octubre de 2019 4:38 PM Actualizado: 24 de Octubre de 2019 4:38 PM

Istambul, 24 out – O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, exigiu nesta quinta-feira o apoio da União Europeia (UE), ao projeto do governo que comanda de enviar mais de 1 milhão de refugiados da Síria para a região nordeste do país árabe, que foi tomado neste mês por tropas turcas.

O chefe de Estado criticou a atitude do Parlamento Europeu, que votou uma resolução de condenação da ofensiva das forças da Turquia e pediu embargo a venda de armas ao país.

“Ontem, no Parlamento Europeu foi proposta uma área de exclusão aérea da Síria. Ninguém propôs isso, quando o sangue corria ali. De repente, acontece algo assim”, disparou Erdogan, em pronunciamento feito em Ancara e exibido pela emissora local “NTV”.

O presidente turco apontou que se trata de desonestidade dos parlamentares do bloco e de que há uma moral dúbia da União Europeia.

“Isso não é bom. Estão assustados, porque dizemos que abriremos as portas. Não se assustem, quando chegar o momento, as abriremos. Vocês também podem receber algumas centenas de milhares de refugiados”, afirmou.

“Cada vez que chegam 100 pessoas na Grécia, eles nos telefonam. Aqui, há quatro milhões. Estamos decididos. Se alguém acha que a atitude humanitária da Turquia é fraqueza, não duvidaremos um momento sequer de mostrar o punho de ferro, em nossa luva de seda”, completou.

Done a The Epoch Times

Cómo puede usted ayudarnos a seguir informando

¿Por qué necesitamos su ayuda para financiar nuestra cobertura informativa en Estados Unidos y en todo el mundo? Porque somos una organización de noticias independiente, libre de la influencia de cualquier gobierno, corporación o partido político. Desde el día que empezamos, hemos enfrentado presiones para silenciarnos, sobre todo del Partido Comunista Chino. Pero no nos doblegaremos. Dependemos de su generosa contribución para seguir ejerciendo un periodismo tradicional. Juntos, podemos seguir difundiendo la verdad.