Presidente do Equador revogará polêmico decreto nas “próximas horas”

Por EFE
14 de Octubre de 2019 5:46 PM Actualizado: 14 de Octubre de 2019 5:46 PM

Quito, 14 out (EFE)- O presidente do Equador, Lenín Moreno, revogará oficialmente nas próximas horas o polêmico decreto 883, que eliminava os subsídios aos combustíveis e que originou os protestos dos últimos 11 dias.

“Nas próximas horas derrogarei o Decreto 883. Fizemos uma escolha pela paz. Será expedido um novo decreto que garanta que os recursos cheguem a quem realmente necessita”, escreveu o governante no Twitter.

A mensagem foi publicada horas depois da confirmação de um acordo com os líderes indígenas para revisar uma decisão que atendia às reivindicações de austeridade do Fundo Monetário Internacional (FMI) e de outras entidades em troca de um pacote financeiro de US$ 10 bilhões.

A Confederação de Nacionalidades Indígenas do Equador (Conaie) lembrou que “neste momento uma comissão trabalha na redação do decreto que o substitui”.

“Festejamos a vitória, mas isto não termina até que o acordo seja totalmente concretizado”, declarou.

Nesta manhã, vários indígenas começaram a retornar às suas casas nas diferentes províncias do país, após mais de uma semana de mobilização que paralisou a capital, Quito. Segundo Moreno, o diálogo recuperou a paz no Equador.

O país retoma aos poucos a normalidade após os dias de protestos, várias deles marcados pela violência. Sete pessoas morreram devido aos distúrbios, de acordo com as autoridades.

Done a The Epoch Times

Cómo puede usted ayudarnos a seguir informando

¿Por qué necesitamos su ayuda para financiar nuestra cobertura informativa en Estados Unidos y en todo el mundo? Porque somos una organización de noticias independiente, libre de la influencia de cualquier gobierno, corporación o partido político. Desde el día que empezamos, hemos enfrentado presiones para silenciarnos, sobre todo del Partido Comunista Chino. Pero no nos doblegaremos. Dependemos de su generosa contribución para seguir ejerciendo un periodismo tradicional. Juntos, podemos seguir difundiendo la verdad.