Supremo da Venezuela pede suspensão da imunidade de 3 deputados da oposição

Por Noticia de agencia
12 de Agosto de 2019
Actualizado: 12 de Agosto de 2019

O Tribunal Supremo de Justiça da Venezuela (TSJ) decidiu nesta segunda-feira solicitar à Assembleia Nacional Constituinte, composta apenas por chavistas, a suspensão da imunidade parlamentar de três deputados opositores, acusados de traição à pátria, conspiração e outros crimes.

Os deputados opositores afetados pela decisão são José Guerra e Tomás Guanipa, do partido Primeiro Justiça, e Juan Pablo García Canales, do Venha Venezuela. E foi tomada depois de o ditador do país, Nicolás Maduro, ter alertado que aqueles que apoiarem o bloqueio econômico ordenado pelos Estados Unidos seriam “castigados com severidade”.

Na sentença, o TSJ afirma que a solicitação foi feita porque os deputados cometeram em flagrante uma série de crimes, como os de “traição à pátria, conspiração, instigação à insurreição, rebelião civil e usurpação de funções”.

O TSJ argumenta que, como os crimes teriam sido cometidos em flagrante, não é preciso julgar o mérito das acusações para pedir a suspensão da imunidade parlamentar dos deputados, como exige a Constituição da Venezuela.

Um dos motivos que determinou a abertura das investigações é a participação dos deputados na sessão parlamentar na qual foi escolhida a atual direção do parlamento da Venezuela.

O TSJ considera que o órgão segue em situação de “desacato”, por isso todas as decisões tomadas por ele são “carentes de validade e de eficácia jurídica”.

Agora, caberá à Assembleia Nacional Constituinte, órgão legislativo paralelo ao parlamento e formado apenas por chavistas, determinar a suspensão da imunidade dos deputados.

Guerra é economista, professor universitário e faz parte da Comissão de Finanças do parlamento. Guanipa é secretário-geral do Primeiro Justiça, o mesmo do ex-candidato à presidência Henrique Capriles, enquanto García Canales é aliado da ex-deputada María Corina Machado.

A Venezuela atravessa um agravamento da tensão política desde janeiro, quando Guaidó foi proclamado presidente interino do país, sendo reconhecido por mais de 50 governos, entre eles o dos Estados Unidos e o do Brasil.

Done a The Epoch Times

Cómo puede usted ayudarnos a seguir informando

¿Por qué necesitamos su ayuda para financiar nuestra cobertura informativa en Estados Unidos y en todo el mundo? Porque somos una organización de noticias independiente, libre de la influencia de cualquier gobierno, corporación o partido político. Desde el día que empezamos, hemos enfrentado presiones para silenciarnos, sobre todo del Partido Comunista Chino. Pero no nos doblegaremos. Dependemos de su generosa contribución para seguir ejerciendo un periodismo tradicional. Juntos, podemos seguir difundiendo la verdad.

TE RECOMENDAMOS