Trump afirma que Bolsonaro e o Brasil têm “apoio total e completo dos EUA” diante dos incêndios na Amazônia

Por EFE
27 de Agosto de 2019 Actualizado: 27 de Agosto de 2019

Washington, 27 ago (EFE)- O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, elogiou nesta terça-feira a gestão de Jair Bolsonaro para conter os incêndios florestais na Amazônia e exaltou o “grande trabalho” à frente do governo brasileiro.

“Cheguei a conhecer bem o presidente Bolsonaro em nossos contatos com o Brasil. Está trabalhando muito duro nos incêndios da Amazônia e em todos os aspectos está fazendo um grande trabalho para o povo do Brasil”, considerou Trump em sua conta no Twitter.

O líder americano disse que a tarefa do líder brasileiro “não é fácil” e afirmou que tanto Bolsonaro como o Brasil “têm o apoio total e completo dos Estados Unidos”.

Trump fez estes comentários depois que Bolsonaro afirmou hoje que o Brasil aceitará a ajuda de US$ 20 milhões oferecida pelo G7 para combater os incêndios florestais se o presidente da França, Emmanuel Macron, se retratar por tê-lo chamado de mentiroso.

Bolsonaro, em entrevista à imprensa, negou que o Brasil tenha rejeitado a ajuda econômica oferecida pelos países mais industrializados do mundo, mas a condicionou à desculpa de Macron por tê-lo chamado mentiroso.

O presidente da França disse na sexta-feira que seu país não respaldará o acordo de livre-comércio anunciado há dois meses pela União Europeia e o Mercosul porque Bolsonaro supostamente mentiu quando indicou que o Brasil cumpriria com todos seus compromissos ambientais, o que, na sua opinião, foi posto em dúvida pela multiplicação dos incêndios na Amazônia.

Na segunda-feira, na entrevista concedida após a cúpula do G7 em Biarritz (França), Macron afirmou que em algum momento será preciso discutir a possibilidade de dar um “status internacional” à Amazônia para impedir sua destruição.

A declaração foi interpretada no Brasil como uma ameaça à soberania dos países amazônicos sobre a maior floresta tropical do mundo.

Segundo o governo brasileiro, os incêndios florestais ocorrem todos os anos e os meses de agosto e setembro são “críticos” pela seca que afeta a Amazônia, mas os 2019 só são os de maior número nos últimos sete anos e estão longe de recordes registrados na década de 2000.

TE RECOMENDAMOS