UE reitera apoio a acordo nuclear com Irã em reunião no Conselho de Segurança

Por efe
10 de Enero de 2020
Actualizado: 10 de Enero de 2020

Nações Unidas, 9 jan – O representante da União Europeia (UE) na ONU, Olof Skoog, reafirmou nesta quinta-feira, durante reunião no Conselho de Segurança, o compromisso do bloco com o acordo nuclear firmado com o Irã em 2015.

“A UE dá grande importância à preservação do acordo e sua total implementação. É um elemento fundamental da arquitetura da não proliferação internacional (de armas nucleares) e crucial para segurança na região e no mundo”, disse Skoog em uma reunião convocada para discutir a crise entre Estados Unidos e Irã.

A renovação do compromisso do bloco europeu com o acordo nuclear foi feita um dia depois de o presidente dos EUA, Donald Trump, pedir que os demais países signatários do pacto – Reino Unido, França, Alemanha, Rússia e China – o rompessem.

Os Estados Unidos deixaram o acordo, assinado durante o governo de Barack Obama, em 2018, pouco depois de Trump assumir o poder.

“O sistema multilateral está cada vez mais sob ameaça. Novas competições e tensões estão o minando. Tratados e acordos amplamente aceitos parece que estão sendo colocados em questão”, afirmou o embaixador da UE na ONU.

Skoog considerou que a recente escalada de tensão no Oriente Médio entre EUA e Irã é uma questão “extremamente séria”. Para ele, um conflito poderia colocar em risco a segurança regional e reforçar o terrorismo internacional.

No discurso, apoiado por países como Turquia, Montenegro, Sérvia, Albânia e Ucrânia, o diplomata fez uma defesa do multilateralismo e alertou sobre o risco de o mundo voltar a regressar à era anterior à criação da ONU há 75 anos.

“A UE é e seguirá sendo uma guardiã do multilateralismo. Seguiremos defendendo uma ordem internacional baseada em normas, incluindo a proteção dos direitos humanos, com a ONU e sua carta como centro”, afirmou Skoog.

Done a The Epoch Times

Cómo puede usted ayudarnos a seguir informando

¿Por qué necesitamos su ayuda para financiar nuestra cobertura informativa en Estados Unidos y en todo el mundo? Porque somos una organización de noticias independiente, libre de la influencia de cualquier gobierno, corporación o partido político. Desde el día que empezamos, hemos enfrentado presiones para silenciarnos, sobre todo del Partido Comunista Chino. Pero no nos doblegaremos. Dependemos de su generosa contribución para seguir ejerciendo un periodismo tradicional. Juntos, podemos seguir difundiendo la verdad.

TE RECOMENDAMOS