750 agentes cubanos assessoram financeiramente a tirania de Maduro

Por SABRINA MARTÍN
02 de Diciembre de 2019 Actualizado: 02 de Diciembre de 2019

Não satisfeito em manter centenas de cubanos trabalhando na área militar e de inteligência na Venezuela, Nicolás Maduro também tem uma equipe de 750 economistas e contadores da ilha que aconselham o regime.

Maduro, que remeteu o país sul-americano à inflação mais alta do mundo, aos salários mais baixos da região, à escassez de alimentos e medicamentos únicos em sua história e à dolarização improvisada da economia venezuelana, agora conta com supostos profissionais cubanos em questão econômica como se a ditadura de Castro fosse um “exemplo a seguir” nessa questão.

Segundo a imprensa oficial cubana, a ilha tem economistas e contadores trabalhando no país sul-americano com o suposto “objetivo de superar os obstáculos da guerra econômica dos Estados Unidos ” contra Cuba e Venezuela. Aparentemente, existem 750 cubanos que também procuram “manter as missões sociais em pé” no país petrolífero.

“Você desempenha um papel importante na consolidação do controle econômico, aumentando a eficiência e a sustentabilidade da Missão, permitindo elevar a qualidade dos serviços para ajudar a preservar, promover e garantir a saúde do povo venezuelano”, afirmou ele em carta O chefe da Missão Médica de Cuba na Venezuela, Reinol Delfín García Moreiro, conforme registrado pela imprensa oficial e revisado pelo El Nuevo Herald.

Hoje, a Venezuela enfrenta o pior colapso econômico com uma redução de mínimos históricos em seu Produto Interno Bruto, que diminuiu 62% desde 2013. Enquanto isso ocorre, mais de vinte mil “cooperadores” cubanos, principalmente especialistas em medicina, permanecem no país sul-americano, sendo pagos com o petróleo que Maduro envia para a ilha.

Cuba mantém Maduro no poder

Segundo a Bloomberg, Cuba e seus agentes na Venezuela são peças cruciais para manter Maduro no poder: “Sabemos que os guarda-costas de Maduro são cubanos. Sabemos que há uma presença cubana muito importante nas duas principais agências de inteligência ”, disse Elliott Abrams, enviado especial do Departamento de Estado dos Estados Unidos para a Venezuela. “Os cubanos constituem uma espécie de sistema nervoso para esse regime. Eu não estaria lá se não fosse por eles ”, ele disse.

Brian Fonseca, da Universidade Internacional da Flórida, que conduziu um estudo de cubanos na Venezuela para o Wilson Center em Washington, disse que os agentes cubanos ocupam principalmente posições importantes de segurança e inteligência na Venezuela. Isso coincide com as declarações do governo dos Estados Unidos, que afirma que entre cinco mil e dez mil cubanos ocupam posições-chave na Venezuela.

Bloomberg revela que Cuba tem o controle do sistema de identificação da Venezuela, então a ilha se esforça para impedir Maduro de deixar o poder, pois ele perderia o controle das informações sobre a nação sul-americana.

Anthony Daquin, que trabalhou para o Ministério do Interior sob o governo de Hugo Chávez, disse que a agência é “técnica e operacionalmente controlada por cubanos da Universidade de Ciências da Informação de Cuba”. “Existem cerca de 300 cubanos que administram o Serviço Administrativo de Identificação, Migração e Estrangeiros Saime (…) há uma cópia do arquivo de cada identificação venezuelana na Universidade de Havana”, afirmou.

A Bloomberg também revela, de acordo com testemunhos, que os cubanos estão alojados em edifícios bem protegidos, como Fuerte Tiuna, a principal base militar de Caracas.

Leia também:

Em 2018, o secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), Luis Almagro, estimou que pelo menos 22.000 cubanos “se infiltraram no regime venezuelano” para manter Maduro no poder.

Este artigo foi publicado originalmente no PanAm Post.

As opiniões expressas neste artigo são de opinião do autor e não refletem necessariamente as opiniões do Epoch Times.

*********

Assista também: 

Nero da China

 

TE RECOMENDAMOS