Homem é detido após divulgar vídeo com plano para matar Bolsonaro

Polícia prendeu o faxineiro antes da chegada do presidente a Três Corações

Por diário do poder
02 de Diciembre de 2019 3:52 PM Actualizado: 02 de Diciembre de 2019 3:52 PM

Inconformismo político” essa foi alegação de Pedro Venicio Ferreira, 25 anos, para o plano de matar o presidente da República Jair Bolsonaro, durante visita a cidade mineira de Três Corações, na última sexta-feira (29).

O faxineiro terceirizado do Exército publicou em seu perfil do Instagram um vídeo  em que mostra imagens da Escola de Sargentos das Armas, e afirma que estava analisando toda a situação, toda a área, para poder bolar seu plano de que, na hora em que o presidente chegasse ao batalhão iria acertar ele.

Em uma das publicações, Ferreira aparece próximo ao mural de arma da cavalaria, e a foto com a seguinte legenda: “Inicia-se aqui a sequência de histórias onde estou infiltrado na toca do lobo, melhor dizendo, exército brasileiro”. Em outra, a legenda da foto é : “Arte da guerra: mantenha os amigos próximos e os inimigos mais próximos ainda”.

Entretanto, seu atentado foi frustrado pela denúncia de pessoas que viram tais publicações. O plano era atacar Bolsonaro durante a cerimônia de formação de sargentos, da Escola de Sargentos das Armas do Exército. Muito provavelmente durante os momentos em que o presidente tira fotos com admiradores.

Na delegacia, “sem constrangimento”, conforme revela o boletim de ocorrência, Ferreira relatou aos policiais que trabalha eventualmente para uma empresa terceirizada de limpeza que presta serviço à unidade do Exército. Confirmou que fez todas as publicações, filmagens e fotografias, e argumentou que “realizou por ironia, por inconformismo político. Já que possui posicionamento político de centro-esquerda, esquerda, mas que não integra qualquer entidade de classe”.

A Polícia Federal investiga o caso, Ferreira foi preso pelo crime contra a segurança pública. Por meio de nota a PF esclarece: “O suspeito trabalhava como terceirizado na ESA e aparecia em vídeos postados, circulando no interior da unidade militar no dia anterior à chegada do Presidente. O suspeito foi detido antes de ter a oportunidade de estar na presença do Presidente”.

Diário do Poder entrou em contato com a assessoria do Gabinete  de  Segurança  Institucional  da  Presidência  da  República, entretanto, não obteve resposta até a publicação desta matéria.

Cómo puede usted ayudarnos a seguir informando

¿Por qué necesitamos su ayuda para financiar nuestra cobertura informativa en Estados Unidos y en todo el mundo? Porque somos una organización de noticias independiente, libre de la influencia de cualquier gobierno, corporación o partido político. Desde el día que empezamos, hemos enfrentado presiones para silenciarnos, sobre todo del Partido Comunista Chino. Pero no nos doblegaremos. Dependemos de su generosa contribución para seguir ejerciendo un periodismo tradicional. Juntos, podemos seguir difundiendo la verdad.